sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Ah, a saudade!


Nem parece, mas é a tua ausência que já sinto aqui.
Sinto falta de "eu", assim.
Não existo em metades, pedaços ou coisa do tipo.
Só existo quando completa, quando seu coração sorri pra mim.

0 comentários:

 
"Quase sempre, a escrita é o mais barulhento dos protestos"